• Indique o seu endereço de email para subscrever este blog e receber notificações de novos posts por email.

    Junte-se a 5 outros seguidores

  • GRANDESodisseias

  • Categorias

  • Strava

  • sitemeter

  • Arquivo

  • Anúncios

O regresso á Peneda 20/09/2009

Existem vários tipos de filme, os românticos , acção, drama, aventura os musicais e ainda os chamados educativos onde se enquadram os Eróticos e também “Etnográficos”. Depois Podem ser curta, Média ou Longa metragem .

Este pode ser enquadrado numa Média metragem produto de Alfred Hitchcock ,

O dia começou cedo, com a recolha dos figurantes deste triller uns mais pontuais outros como sempre atrasados, depois do mata bicho o rumo foi então para o Mezio, onde a manha se apresentava fresca mas apetecível para a prática do btt.

O percurso penso que retirado de um blog á muito desactualizado, talvez por falta de inspiração do seu autor ou o esquecimento da senha do acesso á dita pagina. (coisas da idade talvez)……..

O inicio no Mezio é agradável a vegetação envolvente eleva-nos a um carma enganador, que nos transporta através das pernas ainda frescas ao inicio da hostilidades .

Contornando uma elevação chamada “Rocha Nua” (cujo o nome nos levou a monta-la lá mais pro final da passeata),

A subida inicial leva-nos a passar junto a uma calçada que certamente faria as delicias de alguns gulosos.
Mas o traço estava escrito e nada nos demoveria de seguir o nosso destino que nos levaria a passar pelas brandas de Avelar ,
Uma descida com pedra presenteava um conjunto de imagens luxuriantes que ajudava na digestão a primeira dezena de kms

A avalanche rolou até a Cabreiro onde a subida do dia teria o inicio.,

Rodopiando atacamos a besta pelo franco Norte, no inicio por estrada onde o meu corpo agradecia , á nossa esquerda um lindo desfiladeiro onde na encosta oposta mora uma linda aldeia que curioso continuo sem saber o nome. (seŕa Sebastião de baixo? Pena não er um retrato)
Em vilela seca retomamos a terra, o substrato de penedo faz a sua aparição primeiro com um granulado miúdo que maliciosamene começa a massacrar a quinta vértebra.

A ritmo lento fui vencendo a pequena dificuldade entretendo-me a ver os postais que o misto homem natura nos tem para oferecer

O amigo Myrage ainda se acercou de um pastor da era moderna, tentando em vão cravar uma fresquinha, que pelo aspecto do dito as que sobravam não chegavam para ele, pateticamente despediu-se dizendo para o ultimo da fila (a Subida acaba Já ali) , engoli, em seco e segui ao meu destino.

O que faltava de subida revelou a dureza da Peneda, uma auto estrada de calhau surgiu na sua magnitude, Os meus parceiros passaram majestosamente esta fase esculpindo um trilho de teimosia medindo forças um com o outro.

Eu resignei-me a minha parca forma e optei pela táctica de um nobre membro deste Fórum (o puxa empurra)….

Já no cume onde nasce o Rio vez, chegaram as contorções nervosas a breve pausa piorou a situação, não tinha mãos que chegassem para agarrar o numero de músculos que reclamavam por ocupar o seu lugar,

A custo lá cumpri uma dolorosa decida que nos levaria de encontro ao nosso meio de transporte onde era mais fácil contar as partes do corpo que não me doía do que as que apresentavam queixume….

Este é um Percurso de excelência onde os 52 kms e 1680 acumulado podem deixar as suas mazelas naqueles que pensam que a forma Fisica é pouco importante para fazer 52 kms …….

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s

%d bloggers like this: